Ter pessoas em cargos estratégicos para fazer a gestão da startup é uma postura inteligente para despontar no mercado. 

Por isso, surgiram novos cargos e novas nomenclaturas, e nas startups, eles já são bem conhecidos por ocupar posições importantes na hora de gerenciar, e sobretudo, no momento de colocar a mão na massa junto com o time. Apresentamos o profissional C-level! 

Siga a leitura para conhecer as variações de cargos C-level, e a importância de selecionar as pessoas certas para cada um deles.

Importante saber

Antes de conhecer os novos cargos, é legal entender que o “C” do termo C-level é uma referência de Chief, ou chefe, e é usado para designar os cargos de executivos que ocupam papel de liderança nas empresas. 

Por aqui, vamos começar explicando detalhadamente as características do C-level mais conhecido: O CEO. Bora?

CEO  (Chief Executive Officer)

Você deve ter percebido que muitos empreendedores vêm trocando o cargo de “diretor executivo” por CEO, e geralmente, é ocupado pelo empreendedor da startup.

É a posição mais alta, e precisa ser preenchida por quem tem uma perspectiva ampla da empresa, para desenvolver planos de ação, buscar investimentos e recursos, definir metas, objetivos, além de ser a alma do negócio, e levar a cultura da startup para o dia a dia do time.

Mas não se engane que o CEO tem condições de liderar e fazer a gestão de todas as frentes da startup. Na verdade, ele conta com outros Cs-level para fazer a empresa andar nos trilhos, sem perder o foco em soluções estratégicas, otimizadas e de alta performance.

CTO  (Chief Technology Officer) ou CIO (Chief Information Officer)

São os Cs-level ligados ao setor de tecnologia. Hoje se sabe que o combo tecnologia e inovação é estrutural para fazer a startup decolar. Ainda, este profissional não está apenas nas empresas com este foco. Há oportunidade para CTO ou CIO em qualquer startup que tenha um time trabalhando em soluções inovadoras, ou seja, boa parte delas.

A tecnologia é transversal e está presente em todos os setores da empresa, por isso, o CTO precisa, além de conhecimento técnico, Know how em gestão e perfil articulador para dar andamento a projetos importantes para o negócio, como a implantação da LGPD, obrigatoriedade recente aqui no Brasil que exigiu adequações tecnológicas em muitas empresas, independente do porte.

CFO  (Chief Financial Officer)

Os diretores financeiros, focados no caixa, na contabilidade e todas as outras atividades que mexem com a saúde financeira do negócio são chamados de CFO. 

Profissionais CFO lidam com a gestão financeira, contábil e tributária de forma estratégica, e assim, tornam as atividades desta área altamente importantes para a tomada de decisão dos empreendedores.

Estes executivos acompanham investimentos e controlam as movimentações e fluxos financeiros para garantir que a empresa tenha e aumente seus recursos. Ainda mais startups, que costumam começar com orçamentos enxutos. Um bom CFO pode fazer a diferença para aproveitar o capital da melhor forma. Para quem não tem aquela “gordurinha financeira”, ou ainda está correndo atrás de investidores, ter um executivo C-level focado no financeiro pode ser o diferencial para ter sucesso.

COO  (Chief Operating Officer)

Os “cringes” chamam de diretor de operações. Hoje, o executivo que lida com as operações é chamado de COO. Ele é o “olho” do CEO dentro da empresa e faz com que as estratégias planejadas aconteçam.

É o C-level responsável por supervisionar e coordenar processos, pessoas e acompanhar, na prática, como as atividades são executadas e entregues.

Uma característica bem importante do COO é ter skills que facilitem suas relações com o time. Afinal de contas, é ele quem lida com quem coloca a mão na massa (e no operacional) para que a empresa funcione. 

CMO  (Chief Marketing Officer)

O diretor de marketing sempre foi visto como uma posição mais estratégica. Agora, imagine o profissional CMO. Ele tem a pegada do gestor, acompanha todos os canais e estratégias, além de participar dos processos, trazer inovação, ferramentas, métricas e tudo que melhore os resultados das ações de marketing.

É ele quem conduz times de vendas, marketing, comunicação e não tira do seu radar uma pessoa mega importante para o desenvolvimento da startup: o cliente.

Agora que você já conhece os principais profissionais C-level e o significado de cada posição, entenda que saber escolher quem preenche os cargos executivos pode ser o grande diferencial para ter o time dos sonhos e fazer a empresa inovar e crescer.

A e-volve.in é especializada em apoiar a gestão das startups e conduzir a seleção dos melhores profissionais para fazer o negócio decolar. Tivemos a oportunidade de ajudar mais de 100 startups a encontrarem os melhores executivos do mercado para suas equipes sendo que 10 delas já se tornaram unicórnios.

Para fechar nosso papo, aproveite e diga nos comentários se você conhece outro C-level que não citamos aqui. Mande sua mensagem e vamos trocar experiências. Faça parte do universo da E-volve, a única consultoria 100% focada nesse ecossistema com relacionamento e experiência para desenvolver qualquer startup.